Graças ao projeto de mapeamento colaborativo OpenStreetMap, que utiliza dados inseridos por utilizadores, pesquisadores da USP contribuem para o mapeamento de áreas afetadas pelo forte terremoto que atingiu o Nepal.
Os mapas auxiliam a logística de ajuda humanitária na cidade de Katmandu, a mais afetada pelos tremores. Os alunos, todos voluntários, traçam rotas e definem o melhor caminho levando em conta áreas danificadas pelo terremoto, como pontes caídas e ruas interditadas por escombros.
Veja a reportagem completa aqui.
Com informações do G1.