A rápida chegada do frio na China deixou uma densa camada cinza de poluição.
As províncias do nordeste da China, especialmente Jilin e Liaoning, registraram nos últimos três dias níveis de poluição do ar nunca vistos depois que as autoridades decidiram ligar o sistema central de aquecimento, alimentado pela queima de carvão mineral.
O contato direto e prolongado com essas partículas finas é ligado ao aparecimento de doenças como o câncer de pulmão, diversas doenças respiratórias e do coração.

A poluição do ar é um dos maiores problemas ambientais na China e é fonte de protestos por parte da população.
As autoridades tentam reduzir sua dependência de carvão mineral (abundante no país, barato de extrair, mas muito poluidor) pelo gás natural e as energias renováveis, mas mais de dois terços da energia gerada na China continua vindo do uso desse combustível fóssil.
Saiba mais na reportagem do El Pais.

 

Adriano Liziero
Blogueiro desde 1999 e hacker desde cedo, gosto de desmontar e descomplicar coisas. Voltei de Angola, onde vivi durante quatro anos, querendo ser piloto de avião e geógrafo. Estudei aviação e, mais tarde, ingressei na faculdade de Geografia da USP. Minha paixão por descomplicar coisas me levou também ao jornalismo. Há sete anos, trabalho fazendo games, vídeos e infográficos de geografia. Fundei o Geografia Visual para explicar o mundo de um jeito diferente e criativo.