“Aqui estão 16 crianças”, informa o jornal dinamarquês que publicou o ensaio fotográfico. “Você ainda não as conhece — e as vê sozinhas no mundo. Mas conforme você clica nas imagens, e o contexto delas se revela, verá o que ser uma criança refugiada em 2016 significa para elas”.
Nas imagens, as crianças aparecem isoladas, com um fundo preto. Ao clicar nas fotografias, o aparente conforto das crianças dá lugar ao triste contexto em que elas vivem, em situações extremas e desumanas.
Segundo o Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), crianças correspondem a mais da metade dos refugiados do mundo.

Clique nas imagens e conheça a realidade dessas crianças.



FOTO: AP/Vadim Ghirda/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Petros Giannakouris/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Vadim Ghirda/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Darko Bandic/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Darko Vojinovic/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Yannis Kolesidis/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Darko Bandic/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Thanassis Stavrakis/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Petros Giannakouris/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Lefteris Pitarakis/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Bilal Hussein/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Petros Giannakouris/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Petros Giannakouris/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Petros Giannakouris/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN




FOTO: AP/Muhammed Muheisen/REPRODUÇÃO DO POLITIKEN


 

Adriano Liziero
Blogueiro desde 1999 e hacker desde cedo, gosto de desmontar e descomplicar coisas. Voltei de Angola, onde vivi durante quatro anos, querendo ser piloto de avião e geógrafo. Estudei aviação e, mais tarde, ingressei na faculdade de Geografia da USP. Minha paixão por descomplicar coisas me levou também ao jornalismo. Há sete anos, trabalho fazendo games, vídeos e infográficos de geografia. Fundei o Geografia Visual para explicar o mundo de um jeito diferente e criativo.