Texto: Natalia Benatti Zardo
Pauta e edição: Adriano Liziero

Mais de 65 milhões de pessoas no mundo são hoje consideradas refugiadas. No Brasil, estão presentes quase 9.000 refugiados, vindos de 79 nacionalidades, como sírios, angolanos, colombianos, congoleses, palestinos entre outros.
O que é ser um refugiado?
Os refugiados são migrantes internacionais forçados. Diferente de um imigrante, que se desloca por vontade própria, o refugiado é alguém que está em situação de perigo em seu país e busca proteção em outra nação.
As causas que levam à urgência da saída do seu país de origem podem ser tanto por conflitos internos tanto por perseguições, envolvendo questões étnicas, religiosas, ideológicas, econômicas.
Qualquer ser humano que estiver correndo risco de morte tem o direito de solicitar refúgio em outro país. Ao ter seu pedido aceito, ele passará a receber assistências do Estado e de outras organizações internacionais.
A história por trás dos números
Até conseguir se estabelecer em um lugar seguro, os caminhos percorridos por quem é refugiado são bastante conturbados. Pouco sabemos sobre a realidade vivida por essas pessoas. As suas histórias de vida são geralmente encoberta por números e notícias frias.
Em dois vídeos publicados pela instituição “Save the Children”, é apresentada a história de uma criança síria refugiada, um segundo por dia. Desde a sua vida antes da guerra, o medo dos primeiros ataques, até o deslocamento violento para os campos de refugiados. As mudanças são impactantes.

Outro vídeo, divulgado pela UNICEF, conta a história de uma menina síria relatada por ela mesma. Malak fala sobre como foi a travessia no barco, sobre suas roupas jogadas no mar, a saudades dos seus amigos e a esperança de voltar para seu país em paz.

A partir da história de Malak, foi produzido um curta animado

História em quadrinhos

A HQ “Uma jornada perigosa” é uma trilogia que conta a história de três refugiados sírios, Khalid, Hasko e Mohammad.
Em cada capítulo, os personagens narram os eventos que os levaram a fugir do país, a vivência do deslocamento forçado e o momento de estabilidade. Toda história termina com uma foto real do protagonista. Clique aqui para ler na íntegra.
Essa HQ, junto dos outros vídeos, são formas que a mídia tem encontrado para reafirmar a importância de se conhecer histórias de vida para se entender o contexto real dos refugiados.
Por: Natalia Benatti Zardo
Sou apaixonada pela ciência geográfica e por tudo que tiver mapas. Estou no último ano do curso de Geografia, na Universidade do Estado de Santa Catarina. Entrei no universo dos blogs para contribuir pelo reconhecimento do ensino de geografia. Acredito que a educação é a primeira porta de entrada para o mundo. Escrevo o blog Geograficamente Falando.