Texto: Fernando Soares de Jesus
Pauta e edição: Adriano Liziero

Assim como a atmosfera, os oceanos também apresentam fluxos delimitados de fluido que percorrem o globo de maneira quase constante. São as chamadas correntes marítimas, que se comportam quase que como “rios” dentro do oceano.
A equipe do canal Terra Negra, em visita à cidade de Antofagasta, no Chile, produziu um vídeo que aborda a influência das correntes marítimas quentes e frias no clima e na economia.

No vídeo, os professores Percy Fernandes e Juninho Lopes explicam como a introdução de águas frias no oceano tem impedido a chegada da corrente quente do Golfo do México à Europa Ocidental.
No curto vídeo a seguir, é mostrado como funciona este mecanismo. O degelo no Ártico, ao introduzir águas de baixa temperatura no oceano, barra o fluxo da corrente quente que vem do Golfo do México.
Sem águas mais quentes em suas costas, o litoral da Europa Ocidental, em países como Inglaterra e Irlanda, tende a esfriar. Logo, o aquecimento de uma região determina o resfriamento de outra. Se fala, aqui, então, de mudanças climáticas, e não apenas de um aquecimento global.

Sobre a ressurgência, é necessário salientar que não apenas as costas chilena e japonesa apresentam o fenômeno. Conforme o mapa abaixo, vemos que ele ocorre nos litorais de diversos países, inclusive no brasileiro, como é o caso da Região dos Lagos, no estado do Rio de Janeiro.

Áreas de ressurgência no mundo. Imagem: Espensade, E.B., ed., 1950,
Goode’s School Atlas. Rand McNally, NY.

Fernando Soares de Jesus
A Geografia faz parte da minha vida desde a infância. Se me perguntassem “o que você quer ser quando você crescer?”, certamente a minha resposta seria “ser geógrafo”. Isto me incentivou em, ainda no primeiro ano do ensino médio, em 2013, criar o site Geografia Opinativa. Natural de Imbituba (SC), atualmente curso Geografia na UFSC, em Florianópolis, e busco a cada dia contribuir com o compartilhamento e com a democratização do conhecimento geográfico.