Poluição do ar na China fica descontrolada

Adriano Rangel Liziero

Adriano Rangel Liziero

Editor | Geógrafo

10 de novembro de 2015

A rápida chegada do frio na China deixou uma densa camada cinza de poluição.

As províncias do nordeste da China, especialmente Jilin e Liaoning, registraram nos últimos três dias níveis de poluição do ar nunca vistos depois que as autoridades decidiram ligar o sistema central de aquecimento, alimentado pela queima de carvão mineral.

O contato direto e prolongado com essas partículas finas é ligado ao aparecimento de doenças como o câncer de pulmão, diversas doenças respiratórias e do coração.

A poluição do ar é um dos maiores problemas ambientais na China e é fonte de protestos por parte da população.

As autoridades tentam reduzir sua dependência de carvão mineral (abundante no país, barato de extrair, mas muito poluidor) pelo gás natural e as energias renováveis, mas mais de dois terços da energia gerada na China continua vindo do uso desse combustível fóssil.

Saiba mais na reportagem do El Pais.

Adriano Rangel Liziero

Adriano Rangel Liziero

Editor | Geógrafo

Estudei Geografia na USP influenciado pela experiência de viver em Angola, país que despertou em mim a vontade de compreender o mundo. Meu gosto pela escrita também me levou ao jornalismo.
Trabalho no mercado editorial de didáticos, com foco em tecnologia educacional. Há sete anos, fundei o Geografia Visual para explicar o mundo utilizando o poder didático das imagens.

Você também pode gostar

Fotografias

I Prêmio Brasileiro de Fotogeografia

por Adriano Rangel Liziero

As inscrições terminam em 6 de novembro.

Fotografias

Viagem a Galápagos: um relato geológico

por Curadoria de conteúdos

O geólogo Leandro Thomaz conta a sua experiência no arquipélago vulcânico.

Fotografias

Imagens mostram tremor no México em dois momentos da história

por Curadoria de conteúdos

Há 32 anos, em 19 de setembro de 1985, a Cidade do México viveu o seu pior terremoto, que matou pelo menos dez mil pessoas (foto).