Texto: Fernando Soares de Jesus
Pauta e edição: Adriano Liziero

A Síria, atualmente, se transformou em um grande tabuleiro de xadrez. Potências globais e regionais lançam suas estratégias com o intuito de perpetuar seus respectivos planos de poder na importante região. A principal vítima desta lógica perversa é, claro, a população síria.
Entender a Guerra da Síria, inserida dentro de uma lógica geopolítica complexa, não é nada fácil. Uma boa alternativa seria retornar ao entendimento do passado, especialmente quando falamos de uma região de povoamento muito antigo.
Além de ser uma região importante para o escoamento da produção de petróleo e de gás natural dos países da Península Arábica, a região onde hoje se insere a Síria passou por um processo de colonização bastante intrusivo, onde as potências ocidentais atuaram no sentido oposto aos interesses da população árabe.
A equipe do WhyMaps produziu um vídeo explicativo explorando a Guerra da Síria através da compreensão do tempo histórico.

Em uma análise mais próxima da presente, vemos que os interesses das potências globais sobre o país continuam. Agora, porém, os principais atores são EUA e Rússia, em conjunto com seus países aliados.
O governo xiita alauíta de Bashar al-Assad é apoiado pela aliança entre Rússia, China e Irã (potência xiita), enquanto que diferentes grupos opositores são apoiados por EUA, França, Reino Unido, Turquia e Arábia Saudita (potência sunita wahhabista).
O conflito vem tomando cada vez mais, assim, um sentido religioso, convergindo com seu caráter geopolítico inicial.
Atualmente, estas são as zonas de poder de cada grupo, que inclui também o Estado Islâmico, que deseja a criação de uma nação islâmica na região, e o curdos, que desejam a criação de um estado próprio:

Realização: Fernando Soares de Jesus (Geografia Opinativa)

O vídeo produzido pelo reVisão mostra a configuração atual do conflito, explorando também a questão dos refugiados.

E se formos fazer uma analogia entre a Síria atual e um grande e diverso colégio? Felipe Castanhari, do Canal Nostalgia, explicou a guerra por meio deste viés, fornecendo uma explanação bastante didática e próxima da realidade dos alunos.

Fica ainda a reflexão final do youtuber acerca da triste situação da população síria. Não podemos ignorar a situação dos refugiados, e muito menos os concebermos como terroristas.
Nesta situação, o mínimo esperado é a aceitação e o entendimento da dura realidade que faz com que essas pessoas se desloquem de seu país natal.
Como leitura complementar, recomendamos:
Entendendo a Guerra da Síria, do Geografia Opinativa.
As histórias dos refugiados contadas em vídeos e quadrinhos, aqui do Geografia Visual.

 

Fernando Soares de Jesus
A Geografia faz parte da minha vida desde a infância. Se me perguntassem “o que você quer ser quando você crescer?”, certamente a minha resposta seria “ser geógrafo”. Isto me incentivou em, ainda no primeiro ano do ensino médio, em 2013, criar o site Geografia Opinativa. Natural de Imbituba (SC), atualmente curso Geografia na UFSC, em Florianópolis, e busco a cada dia contribuir com o compartilhamento e com a democratização do conhecimento geográfico.