Crise mundial da água: poluição mata 1,8 milhão de pessoas por ano

Adriano Liziero | Brenda Mendonça

Adriano Liziero | Brenda Mendonça

Redação do Geografia Visual

30 de abril de 2018

Quando falamos de água, é comum pensarmos apenas em desperdício. No entanto, o problema da sua poluição no mundo é tão grave quanto o uso indiscriminado, com consequências severas para ecossistemas e para os seres vivos, que dependem da água  – inclusive nós.

Poluição diz respeito à contaminação biológica, física ou química, sendo esta última muito perigosa, visto que, geralmente, não podemos identifica-la sem uma análise mais detalhada.

No gráfico a seguir, observe um pouco do panorama brasileiro com relação à qualidade das águas no estado de Minas Gerais e ao tratamento de esgoto por região.

Água transparente não significa água própria para banho ou consumo

A poluição pode ou não ter sua fonte facilmente identificada. O fato é que a ação antrópica é a grande causadora desse problema, seja pelo descarte incorreto de produtos, lançamento de químicos ou de esgoto.

Podemos classificar a poluição em quatro tipos:

  • Poluição química;

  • Poluição biológica, por partículas orgânicas geralmente proveniente dos esgotos;

  • Poluição térmica, pelo aumento ou diminuição considerável da temperatura de um corpo d’água;

  • Poluição sedimentar, por partículas em suspensão;

Um exemplo de poluição sedimentar dá-se pelo acúmulo de lixo nos rios e oceanos.

Poluição da água mata mais do que Aids, malária e tuberculose

Em 2017, um novo estudo* apontou que a poluição da água já mata cerca de 1,8 milhão de pessoas por ano no mundo. Para efeito de comparação, as mortes causadas pela poluição da água equivalem a mais do que o triplo da soma de todas as mortes anuais por Aids, malária e tuberculose.

As mortes foram causadas por fatores desde o consumo de água contaminada a problemas provenientes do tratamento de esgoto falho, causando doenças e infecções gastrointestinais.

Rio Yamuna, um dos mais poluídos do mundo – Índia. Fonte: http://www.isayorganic.com/blog/yamuna-river-fed-vegetables-show-huge-health-hazard/#prettyPhoto

Nesse cenário de escassez de água segura para o consumo, empresas veem uma oportunidade para o lucro. O documentário “Fluxo: Pelo Amor à Água” (Flow: For Love of Water , EUA, 2008, 83 min.), dirigido pela cineasta francesa Irena Salina, denuncia a apropriação da água como um elemento crucial para obtenção de poder, além de sugerir soluções para a crise da água.

O medo de ingerir água contaminada é um recurso muito utilizado pela indústria para vender água engarrafada.

Porém, esta nem sempre é segura, pois, além de vir de fontes contaminadas, acaba contaminando o ambiente (e, por tabela, a hidrosfera) com resíduos plásticos.

*Pesquisa mencionada no post: The Lancet Commission on pollution and health (Lancet, 2017).
Adriano Liziero | Brenda Mendonça

Adriano Liziero | Brenda Mendonça

Redação do Geografia Visual

Adriano Liziero é geógrafo, autor e editor de hipertexto do Geografia Visual. Brenda Mendonça é oceanógrafa e redatora colaboradora do Geografia Visual. Juntos, buscam os melhores conteúdos audiovisuais na internet para explicar Geografia com o poder didático das imagens.

Você também pode gostar

Infográficos Mapas e gráficos Quadrinhos e ilustrações Vídeos

Coletânea de materiais sobre Israel e Palestina

por Adriano Liziero

Filmes, infográficos, reportagens e resumos sobre o conflito entre Israel e Palestina.

Vídeos

O que existe no centro da Terra?

por Curadoria de conteúdos

Material com vídeo e resumo exclusivo, com links selecionados para você se aprofundar nos temas abordados.

Vídeos

Vídeo mostra poeira do Saara fertilizando Floresta Amazônica

por Fernando Soares de Jesus

Material carrega 22 mil toneladas de fósforo, nutriente essencial para a manutenção da floresta.