Desenho animado Os Simpsons, no ar desde 1989, satiriza o "americam way of life".

O estilo de vida e a cultura da classe média dos Estados Unidos são satirizados na série Os Simpsons, desenho animado que está no ar desde 1989. A família Simpson, formada por Homer, Marge, Bart, Lisa e Maggie, é conhecida mundo afora, por crianças e adultos.

A abertura dos episódios é uma marca registrada de Os Simpsons, terminando sempre com a família ícone do american way of life sentada no sofá, assistindo televisão. Esse momento, no entanto, é o gancho que Banksy, um polêmico artista inglês que não revela sua identidade, utilizou para realizar a sua própria abertura da série animada.

A exploração da mão de obra barata nos países orientais é colocada em questão, motivada também pelo salário pago aos animadores da Coréia do Sul, que produzem parte dos desenhos de Os Simpsons, mas ganham um terço do que poderiam receber nos Estados Unidos.

Globalização e indústria cultural

A abertura de Os Simpsons idealizada pelo artista britânico Banksy ilustra não apenas uma característica da indústria cultural, mas também a divisão territorial do trabalho. De que forma esse modelo de produção está incorporado em outros produtos, como, por exemplo, um tênis ou um computador? Como o fenômeno da globalização explica a divisão territorial do trabalho e quais são as suas principais características?

Essas são questões que podem ser elaboradas a partir do uso didático dessa abertura de Os Simpsons. Como atividade prática, pode ser interessante eleger produtos diversos e solicitar aos alunos que identifiquem as especificidades da divisão territorial do trabalho no processo de fabricação e consumo, desde a exploração da matéria prima até o comércio, passando também pelas etapas de desenvolvimento da tecnologia e montagem.

Você já utilizou esse filme em sala de aula? Tem outras ideias de como transformá-lo em recurso didático? Compartilhe as suas experiências conosco, por meio dos comentários.