A cidade medieval ameaçada pelo turismo de massa após Game Of Thrones

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

20 de maio de 2019

A série Game of Thrones estreou em 2011 e, desde então, a cidade medieval de Dubrovnik, na Croácia, enfrenta problemas devido ao turismo de massa em seu centro histórico, conhecido como Cidade Velha.

Cercada pelas águas cristalinas do mar Adriático e por uma muralha medieval, Dubrovnik é uma das principais locações de GOT. Nas vielas e construções de estilos gótico, renascentista e barroco foram gravadas cenas emblemáticas da série, como a Caminhada da Vergonha da rainha Cersei e a Batalha da Baía de Blackwater.

Considerada Patrimônio da Humanidade, Dubrovnik viu suas vielas de mármore tomadas por excursões enormes, que chegam à Cidade Velha em navios de cruzeiro cada vez maiores. Depois da estréia de GOT, o número anual de turistas mais do que dobrou: de 473,9 mil para mais de 1 milhão.

Dubrovnik, que tem 42 mil habitantes, chega a ter 25 mil turistas. No centro histórico, onde moravam 5 mil pessoas, há pouco mais de 1 mil. A maioria das casas foi transformada em hospedagens ou lojas dedicadas aos fãs da série da HBO.

A cidade que já enfrentou terremotos e bombas da guerra pela independência da Croácia, no início dos anos 1990, hoje se vê desafiada pelo turismo de massa.

Uma análise geográfica do turismo mostra que essa atividade transforma o espaço em mercadoria, sendo, ao mesmo tempo, prática social e atividade econômica.

O consumo do espaço pelo turismo é apontado, muitas vezes, como aniquilador dos lugares, modificando substancialmente a organização territorial e a vida cotidiana dos moradores.

Ao mesmo tempo que a prefeitura de Dubrovnik tenta reduzir de seis para dois o número de cruzeiros que chegam diariamente, as empresas veem a cidade medieval como uma espécie de “Disneylândia”, impondo desafios para a gestão do lugar.

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

Estudei Geografia influenciado pela experiência de viver em Angola, país que despertou em mim a vontade de compreender o mundo. Trabalho como autor e editor no mercado editorial de didáticos e sou documentarista de meio ambiente.

Você também pode gostar

Fotografias

Agricultura no espaço

por Curadoria de conteúdos

Astronautas da ISS comem pela primeira vez alface cultivada no espaço.

Fotografias

Desigualdade social e produção do espaço

por Adriano Liziero

82% da riqueza gerada foi parar nas mãos do 1% mais rico do planeta.