A cidade medieval ameaçada pelo turismo de massa após Game Of Thrones

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

20 de maio de 2019

A série Game of Thrones estreou em 2011 e, desde então, a cidade medieval de Dubrovnik, na Croácia, enfrenta problemas devido ao turismo de massa em seu centro histórico, conhecido como Cidade Velha.

Cercada pelas águas cristalinas do mar Adriático e por uma muralha medieval, Dubrovnik é uma das principais locações de GOT. Nas vielas e construções de estilos gótico, renascentista e barroco foram gravadas cenas emblemáticas da série, como a Caminhada da Vergonha da rainha Cersei e a Batalha da Baía de Blackwater.

Considerada Patrimônio da Humanidade, Dubrovnik viu suas vielas de mármore tomadas por excursões enormes, que chegam à Cidade Velha em navios de cruzeiro cada vez maiores. Depois da estréia de GOT, o número anual de turistas mais do que dobrou: de 473,9 mil para mais de 1 milhão.

Dubrovnik, que tem 42 mil habitantes, chega a ter 25 mil turistas. No centro histórico, onde moravam 5 mil pessoas, há pouco mais de 1 mil. A maioria das casas foi transformada em hospedagens ou lojas dedicadas aos fãs da série da HBO.

A cidade que já enfrentou terremotos e bombas da guerra pela independência da Croácia, no início dos anos 1990, hoje se vê desafiada pelo turismo de massa.

Uma análise geográfica do turismo mostra que essa atividade transforma o espaço em mercadoria, sendo, ao mesmo tempo, prática social e atividade econômica.

O consumo do espaço pelo turismo é apontado, muitas vezes, como aniquilador dos lugares, modificando substancialmente a organização territorial e a vida cotidiana dos moradores.

Ao mesmo tempo que a prefeitura de Dubrovnik tenta reduzir de seis para dois o número de cruzeiros que chegam diariamente, as empresas veem a cidade medieval como uma espécie de “Disneylândia”, impondo desafios para a gestão do lugar.

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

Estudei Geografia influenciado pela experiência de viver em Angola, país que despertou em mim a vontade de compreender o mundo. Meu gosto pela escrita também me levou ao jornalismo.
Trabalho no mercado editorial de didáticos, com foco em tecnologia educacional. Criei o Geografia Visual para explicar o mundo utilizando o poder didático das imagens.

Você também pode gostar

Fotografias

Hong Kong, uma das cidades mais verticalizadas do mundo

por Adriano Liziero

Por trás da fachada glamorosa dos arranha-céus, milhares de pessoas vivem em cubículos de 1,80 x 0,76 m.

Fotografias

Uma plataforma quer ser o menor país do mundo

por Adriano Liziero

Sealand é uma plataforma de concreto em águas internacionais declarada como país em 1967.

Fotografias

Como funciona uma usina heliotérmica?

por Adriano Liziero

Conheça uma usina solar que pode gerar energia até à noite.