Cemitério de navios

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

10 de dezembro de 2018

Você sabe para onde vai um navio que está velho demais para navegar, após 25 a 30 anos de vida útil? Infelizmente, para estaleiros localizados em países pobres.

Para desmanchar um navio mercante, o custo é igual ou até mais alto do que construir um navio novo. Isso porque os materiais devem ser separados e descartados de forma adequada, seguindo as melhores práticas ambientais e de segurança do trabalho.

No entanto, para reduzir custos, a maioria da frota de navios destinada à reciclagem é desmanchada em praias de países empobrecidos, onde as leis trabalhistas, normas de segurança e leis ambientais são frágeis.

Países como Índia, Bangladesh e Haiti desmancham navios  sem qualquer preocupação com a segurança das pessoas e com a proteção do meio ambiente.  O trabalho de desmanche de navios é considerado um dos mais perigosos do mundo, com trabalhadores ganhando apenas 2,25 libras por dia.

Clique e retire as propagandas

A única maneira de manter o Geografia Visual no ar é com a pequena verba de publicidade. Doe um cafezinho e me ajude a manter o blog sem tanta propaganda. Você pode doar uma só vez ou contribuir mensalmente. Obrigado 🙂


café
café duplo
café triplo
donut
Thank you very much !

Na Índia, país onde 10 milhões de pessoas vivem abaixo da linha da pobreza, trabalhar em cemitérios de navios é uma forma de sobrevivência. Neste país, fica Alang, o maior cemitério de navios do mundo, onde petroleiros, navios de contêiner e até navios de cruzeiro aguardam para serem reduzidos a sucata.

Praia de Alang, na Índia.

Poucos cemitérios de navios estão situados em países ricos, como esse da imagem, localizado em plena Nova Iorque, nos EUA. Fundado em 1930, esse estaleiro, localizado em Taden Island, serve como local de despejo para rebocadores, balsas e outras embarcações, inclusive antigas, do início do século passado.

Recentemente, governos de mais de 100 países, incluindo o Brasil, têm buscado regulamentar o desmonte e a reciclagem de navios e plataformas de petróleo no mundo, garantindo que o processo seja ambientalmente sustentável e socialmente responsável.

Hoje, pelos mares do mundo, navegam 100 mil navios, sendo que, a cada ano, 600 a 700 navios são destinados para desmanche. É urgente que haja uma mobilização internacional para que os custos da reciclagem sustentável, proteção aos trabalhadores e tratamento ecológico dos navios sejam assumidos pelos armadores.

Foto: Nearmap

Gostou desse conteúdo?

Esse post foi criado à base de café e ciência geográfica. Doe um café e ajude a manter o site no ar com conteúdos didáticos gratuitos.


café
café duplo
café triplo
donut
Thank you very much !
Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

Estudei Geografia influenciado pela experiência de viver em Angola, país que despertou em mim a vontade de compreender o mundo. Meu gosto pela escrita também me levou ao jornalismo.
Trabalho no mercado editorial de didáticos, com foco em tecnologia educacional. Criei o Geografia Visual para explicar o mundo utilizando o poder didático das imagens.

Você também pode gostar

Fotografias

Por que as paisagens das praias são diferentes umas das outras?

por Adriano Liziero

A primeira questão a considerar é que a praia está na zona de contato entre os dois maiores ambientes do planeta, o continente e o oceano.

Fotografias

Desigualdade social e produção do espaço

por Adriano Liziero

82% da riqueza gerada foi parar nas mãos do 1% mais rico do planeta.

Fotografias

Gigantismo dos navios e globalização

por Adriano Liziero

Os navios cargueiros estão ficando cada vez maiores.