Cemitérios: risco potencial para o ambiente

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

11 de fevereiro de 2019

Você seria vizinho de um cemitério? Lugares como esse, onde os corpos são enterrados em túmulos, foram inaugurados no século XVIII. O cristianismo foi um marco no sepultamento dos corpos humanos a partir do ideal de descanso para os mortos e da espera do juízo final.

Por questões higiênicas, os antigos cemitérios eram construídos fora das cidades. Contudo, com o aumento populacional e o adensamento urbano, antigos cemitérios foram incorporados às cidades, bem como novos cemitérios foram inaugurados nas periferias. Estes últimos, construídos em locais empobrecidos da cidade, são frequentemente sonegados pelo poder público, enquanto que os antigos cemitérios, geralmente presentes em áreas centrais, são arborizados e, não raro, se transformam em lugares turísticos e de lazer.

Os cemitérios são um risco potencial para o ambiente. Cada corpo em processo de decomposição libera em torno de 30 a 40 litros de necrochorume, uma substância que pode contaminar o solo e a água com quantidades elevadas de bactérias e vírus, causadores de doenças. Em áreas urbanas periféricas sem saneamento básico, onde a água é captada em poços e rios, a população está sujeita a diversos riscos advindos da poluição causada pelos cemitérios, geralmente construídos sem os devidos cuidados geotécnicos.

Nas áreas centrais da cidade, onde há saneamento básico, o mercado imobiliário se aproveita dos antigos cemitérios como símbolos de qualidade de vida, uma vez que são áreas verdes, sem barulho, isolados, seguros e podem servir até mesmo como espaços de lazer. Com isso, os empreendimentos imobiliários aproveitam as características atribuídas aos cemitérios para valorizar ainda mais o metro quadrado dos imóveis.

Cemitérios verticais são alternativas às instalações convencionais, já que os corpos são depositados em edifícios que ocupam menos espaço físico e que não contaminam o solo com necrochorume. Outra alternativa é a cremação dos corpos, que não libera fumaça e, por conta da elevada temperatura, elimina por completo as fontes naturais de poluição.

Na foto, o cemitério Panteón Civil San Nicolás, na Cidade do México. Com uma área correspondente a 93 campos de futebol, é o segundo maior cemitério da cidade e possui lápides coloridas que expressam a cultura do local.

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

Estudei Geografia influenciado pela experiência de viver em Angola, país que despertou em mim a vontade de compreender o mundo. Trabalho como autor e editor no mercado editorial de didáticos e sou documentarista de meio ambiente.

Você também pode gostar

Fotografias

Desertos arenosos

por Adriano Liziero

Trecho de rodovia em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Fotografias

Como as ondas se formam e como elas podem ser uma ameaça às cidades costeiras?

por Adriano Liziero

Cerca de dois terços da humanidade habitam as zonas costeiras, onde está a maior parte das metrópoles contemporâneas.

Fotografias

Poluição do ar na China fica descontrolada

por Adriano Liziero

Inverno faz chineses ligarem o aquecedor e causar poluição recorde.