Mapa interativo mostra distribuição dos imigrantes nos EUA

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

22 de novembro de 2011

Cada vez mais gente, vinda de diversas partes do mundo, tenta entrar, na maioria das vezes de forma clandestina, nos Estados Unidos. De 1850 até hoje, o país recebeu cerca de 70 milhões de imigrantes, sendo a maioria vinda de países latino-americanos, especialmente do México.

Tentar a vida na América – nome genérico dado aos Estados Unidos – é prática comum desde o século XIX, quando o país recebeu grandes massas de trabalhadores, especialmente de europeus, que se juntaram aos milhões de negros africanos trazidos à força, desde o século XVI,  para o trabalho escravo – que só terminou em 1863, com a Proclamação de Emancipação.

Hoje, grande parte do fluxo da população migrante do mundo tem como destino os Estados Unidos, evidenciado o papel econômico desempenhado pelo país no contexto global. Todo ano, cerca de 3 milhões de imigrantes entram de forma clandestina nos Estados Unidos. Muitos sucumbem à dura viagem, especialmente no deserto que faz fronteira com o México.

Essa onda de imigrantes tende a mudar a demografia dos Estados Unidos. De acordo com projeção realizada pelo Pew Research Center,  a população estadunidense será composta, em 2050, predominantemente por imigrantes. A população de origem hispânica corresponderá a 60% do aumento da população dos Estados Unidos.

O jornal The New York Times realizou um mapa interativo que ilustra a distribuição da população estrangeira nos Estados Unidos. É possível visualizar a distribuição absoluta e percentual de imigrantes pelo território, originários de diversas partes do globo.  É possível, também, acompanhar a evolução dos fluxos de imigrantes desde 1880.

Clique na imagem do Mapa para acessar o site do New York Times, onde está o mapa interativo.

O mapa como recurso didático

Os Estados Unidos concentram grande parte do fluxo de imigrantes internacionais de todo o mundo. Esse movimento da população evidencia o cenário da economia global, onde os EUA ocupam, mesmo com a crise da economia mundial, um papel de destaque.

A origem da população representa não apenas a demografia estadunidense, mas, também, o território-rede da migração mundial em direção aos Estados Unidos ao longo do tempo. É possível solicitar aos alunos uma análise da presença de imigrantes nos Estados Unidos em diversas épocas, e, ao mesmo tempo, o que esses dados podem revelar sobre os diferentes contextos da geografia econômica mundial.

As nacionalidades dos imigrantes e a sua distribuição pelo território podem motivar uma série de outros temas, como, por exemplo, as condições de vida e os papéis desempenhados por esses imigrantes nos EUA, a importância da globalização e dos espaços de circulação e de comunicação, entre outros.

As reportagens e textos utilizados como hiperlinks ao longo desse post podem ser utilizados como material de apoio para pesquisa.

Compartilhe outras ideias de utilização desse mapa como recurso didático para o ensino de geografia. Conte como foi que aproveitou o mapa em suas aulas. Aguardamos o seu comentário.

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

Estudei Geografia influenciado pela experiência de viver em Angola, país que despertou em mim a vontade de compreender o mundo. Meu gosto pela escrita também me levou ao jornalismo.
Trabalho no mercado editorial de didáticos, com foco em tecnologia educacional. Criei o Geografia Visual para explicar o mundo utilizando o poder didático das imagens.

Você também pode gostar

Mapas e gráficos

Mapa interativo mostra fluxo de refugiados para a Europa

por Adriano Liziero

Com base em dados das Nações Unidas, mapa interativo ajuda a esclarecer a dimensão da crise.

Mapas e gráficos

Como se diz “e ai, cara?” na América Latina

por Curadoria de conteúdos

Mapa mostra como as pessoas se cumprimentam em outros países.