Redes sociais mapeiam desaparecidos após terremoto no Nepal

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

28 de abril de 2015

O forte terremoto de 7,8 graus de magnitude que atingiu o Nepal no último sábado (25) afetou 8 milhões de pessoas, mais de um quarto da população do país. O número de mortos já passa de 4,3 mil, com outros 8 mil feridos, entre moradores e turistas. Foi o pior evento do tipo em 81 anos no local.

Para ajudar familiares e amigos a localizar pessoas nas áreas afetadas pelo tremor, Google, Facebook e Microsoft desenvolveram recursos e ações em suas redes sociais.

Google Person Finder

O Google Person Finder funciona como um mural público, onde é possível procurar alguém (“I’m looking for someone”) ou informar sobre a situação de alguém (“I have information about someone”) que esteja na área afetada.

Facebook Security Check

O Facebook Security Check possibilita que as pessoas marquem que estão em segurança na área do terremoto. A informação é compartilhada com toda a rede de amigos da pessoa. Também permite que as pessoas informem sobre a situação de outros amigos que estejam no Nepal.

A Microsoft, por meio do Skype, tornou gratuitas todas as ligações feitas do Nepal para qualquer outro país. As ligações realizadas diretamente para o país também não serão cobradas durante o período de dificuldades nas áreas afetadas.

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

Estudei Geografia influenciado pela experiência de viver em Angola, país que despertou em mim a vontade de compreender o mundo. Meu gosto pela escrita também me levou ao jornalismo.
Trabalho no mercado editorial de didáticos, com foco em tecnologia educacional. Criei o Geografia Visual para explicar o mundo utilizando o poder didático das imagens.

Você também pode gostar

Notícias

Alunos usam fanfic para criarem livro didático de geografia

por Adriano Liziero

Narrativas ficcionais e redes sociais ajudam a reescrever conteúdos de geografia.

Notícias

Geografia Visual lança nova marca

por Curadoria de conteúdos

Logo foi criado pelo publicitário Alan Alves.

Notícias

Educa Party: games na educação

por Adriano Liziero

Por que os jogos educacionais não são divertidos? Veja o que foi discutido na Campus Party.