Como colonizar Marte?

Curadoria de conteúdos

Curadoria de conteúdos

Por Adriano Liziero e Brenda Mendonça

1 de setembro de 2018

Nesse vídeo, produzido pelo canal Nostalgia, você vai conhecer as grandes vantagens e dificuldades encontradas pelos cientistas para tornar Marte um planeta habitável por nós.

Após assistir, leia o resumo que produzimos com base no vídeo, com links para os principais conceitos e com imagens que vão te ajudar a compreender os temas da Geografia abordados no material.

Gosta do Geografia Visual?

Nossos posts são feitos à base de café e ciência geográfica. Doe um café pra gente e ajude a manter o site no ar com conteúdos didáticos gratuitos.


café
café duplo
café triplo
donut
Thank you very much !

Marte está tão longe assim?

O planeta vermelho está a uma distância média de 225 milhões de quilômetros da Terra. Isso levaria, para nós, algo em torno de 7 meses para chegar até lá.

A órbita elíptica de Marte confere ao planeta uma distância mínima e máxima da Terra, além de um maior tempo para completar uma volta ao redor do sol. Um ano em Marte significa 687 dias terrestres.

A distância mínima entre Marte e nós é de  54,6 milhões de quilômetros, enquanto a distância máxima pode chegar até 401 milhões de quilômetros. Além disso, por estar mais distante do Sol que a Terra, a órbita marciana faz com que um ano corresponda a 687 dias terrestres.

Como alcançamos Marte pela primeira vez?

Desde o início dos anos 60, começamos a explorar o planeta vermelho. A sonda espacial Mariner 4 foi a primeira a enviar fotos de Marte.

Reconstrução da primeira imagem de Marte enviada do espaço pela sonda Mariner 4, decomposta como mostra a segunda figura. Fonte: NASA

Apenas em 1971 a primeira sonda espacial terrestre – soviética – foi capaz de pousar em solo marciano, iniciando os estudos e coleta de informações sobre o novo planeta. A partir daí, vários países iniciaram suas missões para Marte.

Índice de sucesso e falha das missões para Marte desde 1960. Claramente, os Estados Unidos obtiveram a maior taxa de sucesso em suas – até então – 22 missões. O gráfico é de 2016. Fonte: Statista

O que sabemos sobre o planeta vermelho?

Os cientistas descobriram, ao longo dos anos, muitas características sobre Marte que os fazem considera-lo o planeta ideal para uma futura colonização.

Superfície de Marte. Foto disponibilizada por NASA.

Dentre as descobertas, algumas das vantagens que colocam Marte no topo da lista de futura casa dos seres humanos, são:

  • Apesar de controvérsias, considera-se que Marte está inserido em uma Zona Habitável;

  • O clima do planeta não é tão extremo (média de -50ºC), se considerarmos que nos pólos da Terra podemos encontrar temperaturas ainda mais baixas que -90ºC;

  • Os dias marcianos duram praticamente a mesma coisa que os terrestres: são 24 horas e 37 minutos;

  • Presença de um bem indispensável para a manutenção da vida: uma grande quantidade de água subterrânea congelada.

Estamos prontos para partir?

Apesar de todas as vantagens, ainda há um longo checklist de problemas a serem resolvidos antes de partirmos para a Terraformação de Marte.

O lado bom dessa história é que, mesmo com tantos problemas, os cientistas já estão encontrando saídas para resolvê-los um por um.

A Terraformação de Marte parece roteiro para filmes de ficção científica. No entanto, é uma realidade prevista no futuro da humanidade. Fonte: Wikipedia

Temperatura

A partir do gás carbônico existente nos pólos marcianos, cientistas conseguiriam liberar este gás pela atmosfera, criando uma espécie de efeito estufa e, assim, aumentar a temperatura média do planeta.

Atmosfera

Para liberar o gás carbônico pela atmosfera, primeiramente, deve-se criar uma. Marte possui uma atmosfera extremamente rarefeita pela ausência de campo magnético. Os cientistas querem “remagnetizar” o planeta vermelho para que o CO2 não escape.

Água

Com uma atmosfera bem definida e estável, a água poderá permanecer em estado líquido por mais tempo.

Oxigênio

O ar marciano é majoritariamente composto por gás carbônico, portanto, não seria possível respirar. Os cientistas estão desenvolvendo aparelhos capazes de transformar moléculas deste gás em moléculas de oxigênio. Outra alternativa seria enviar cianobactérias para Marte, as quais realizam fotossíntese e poderiam deixar a atmosfera mais suportável ao liberarem oxigênio através do consumo de CO2.

Gravidade

Em Marte, uma pessoa que pesa 70kg sentiria seu corpo como se pesasse cerca de 23kg. Com certeza, no início de uma colonização, precisaríamos utilizar de recursos artificiais para simular a gravidade terrestre até nos acostumarmos.

Quando iremos para Marte?

A primeira missão tripulada para Marte está prevista para o ano de 2030, portanto, ainda estaremos aqui para presenciar este feito histórico! Enquanto esse dia não chega, que tal faz um tour virtual pelo planeta vermelho?

Gostou desse conteúdo?

Esse post foi criado à base de café e ciência geográfica. Doe um café pra gente e ajude a manter o site no ar com conteúdos didáticos gratuitos.


café
café duplo
café triplo
donut
Thank you very much !
Curadoria de conteúdos

Curadoria de conteúdos

Por Adriano Liziero e Brenda Mendonça

Garimpamos a internet em busca de conteúdos geográficos, selecionamos os melhores recursos educacionais e os indicamos aqui no Geografia Visual.

Você também pode gostar

Quadrinhos e ilustrações Vídeos

As histórias dos refugiados contadas em vídeos e quadrinhos

por Natalia Benatti Zardo

Recursos nos ajudam a entender a realidade causada pelos conflitos atuais.

Infográficos Vídeos

O bioma Mata Atlântica traduzido em imagens

por Adriano Liziero | Brenda Mendonça

Vídeos e infográfico explicam o bioma que abriga a maior parte da população brasileira.

Jogos e simuladores Vídeos

Os terremotos e a ilusão de terra firme

por Adriano Liziero

O chão balança levemente cerca de cinquenta mil vezes por ano, em diversos lugares do mundo.