Como funciona uma usina heliotérmica?

Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

19 de novembro de 2018

Esse imenso círculo formado por 10 mil espelhos reflete o sol para a ponta de uma torre, com 195 metros de altura, situada no centro da forma geométrica.

Lá, o calor aquece um sal a 565°C, que posteriormente é armazenado em tanques.

Para gerar energia elétrica, inclusive à noite, esse sal quente é usado para ferver água e produzir vapor de alta pressão, capaz de girar turbinas que geram eletricidade.

Gosta do Geografia Visual?

Nossos posts são feitos à base de café e ciência geográfica. Doe um café pra gente e ajude a manter o site no ar com conteúdos didáticos gratuitos.


café
café duplo
café triplo
donut
Thank you very much !

A vantagem de usar o sal fundido, e não a água, é justamente a capacidade do primeiro em armazenar calor por um longo tempo.

Essa usina, do tipo heliotérmica, fica no deserto do estado de Nevada, nos Estados Unidos.

Ela é a primeira que pode armazenar mais de 10 horas de eletricidade, gerando 1.100 megawatts-hora, suficientes para abastecer 75.000 casas.

Embora os impactos ambientais desse tipo de usina sejam baixos se comparados a outras formas de geração de energia, eles existem.

Um dos principais é a morte de aves, que podem sobrevoar os espelhos e morrerem queimadas pelo grande calor refletido para a torre central.

📸 @digitalglobe.


Gostou desse conteúdo?

Esse post foi criado à base de café e ciência geográfica. Doe um café pra gente e ajude a manter o site no ar com conteúdos didáticos gratuitos.


café
café duplo
café triplo
donut
Thank you very much !
Adriano Liziero

Adriano Liziero

Editor | Geógrafo

Estudei Geografia influenciado pela experiência de viver em Angola, país que despertou em mim a vontade de compreender o mundo. Meu gosto pela escrita também me levou ao jornalismo.
Trabalho no mercado editorial de didáticos, com foco em tecnologia educacional. Criei o Geografia Visual para explicar o mundo utilizando o poder didático das imagens.

Você também pode gostar

Fotografias

Imagens mostram tremor no México em dois momentos da história

por Curadoria de conteúdos

Há 32 anos, em 19 de setembro de 1985, a Cidade do México viveu o seu pior terremoto, que matou pelo menos dez mil pessoas (foto).

Fotografias

A plantação de canola no contexto dos biocombustíveis

por Adriano Liziero

O óleo extraído da semente dessa flor pode ser usado para consumo humano e produção de biodiesel.

Fotografias

Formação de cavernas

por Adriano Liziero

Entenda a formação das estalagmites e estalactites.