Energia nuclear: vilã ou mocinha?

Curadoria de conteúdos

Curadoria de conteúdos

Por Adriano Liziero e Brenda Mendonça

8 de agosto de 2018

Na sequência de vídeos abaixo, produzida pelo canal Kurzgesagt, você será guiado em um interessante debate sobre as vantagens e desvantagens do uso da energia nuclear.

Após assistir ao primeiro vídeo, continue lendo o resumo que produzimos, com materiais de apoio que vão te ajudar a compreender determinados conceitos e temas da Geografia abordados nos vídeos. Ative as legendas em português nos vídeos. 

Por que, mesmo perigosa, a energia nuclear continua sendo usada?

Após o desastre das bombas nucleares que destruíram as cidades de Hiroshima e Nagasaki, a energia nuclear ressurgiu com a promessa de ajudar o mundo encontrar novos caminhos para a paz, através de novas tecnologias.

No entanto, empresas do mundo inteiro resolveram continuar seus investimentos em combustíveis fósseis, pois a energia nuclear era cara, complicada e não trazia segurança para os investimentos.

Com o tempo, este conceito mudou. A partir da década de 1970 até 1985, com o grande pico do preço do petróleo em consequência da guerra do Oriente Médio, muitos reatores nucleares foram construídos pelo mundo.

Reatores nucleares da Alemanha. Fonte: Care2

O que são reatores e como eles funcionam?

Basicamente, reatores nucleares são grandes dispositivos capazes de controlar a fissão nuclear e geração de energia em usinas nucleares.

Durante este período de construção de reatores pelo mundo, o reator de água leve foi aquele que mais apresentou vantagens na sua construção, pois:

  • A matéria-prima (água) era abundante e disponível;

  • As etapas de construção e todo o seu desenvolvimento funcionavam bem;

  • Não era uma tecnologia muito cara.

Esquema de funcionamento de um reator nuclear de água leve. Fonte: Secretaria da Educação – PR

Basicamente, o reator aquece a água utilizando uma reação artificial em cadeia.

No entanto, este tipo de tecnologia não é a mais segura nem a mais eficiente, como demonstraram os graves acidentes ocorridos ao longo das décadas na Pensilvânia, Chernobyl e Fukushima, por exemplo.

O desastre em Three Mile Island, na Pensilvânia, foi o mais grave acidente nuclear ocorrido nos Estados Unidos, em 1979. Por inadvertência, o dispositivo de refrigeração de emergência da usina foi desativado. A temperatura escalou perigosamente no interior do reator nuclear e começou a fundir, rompendo as varetas de urânio, acumulando o vapor de água radioativa e ameaçando explodir toda a estrutura. Fonte: Opera Mundi

Qual é a situação hoje?

Atualmente, a energia nuclear supre cerca de 10% da demanda de energia do mundo, com cerca de 439 reatores distribuídos em 31 países.

Os 30 países mais dependentes de energia nuclear – Porcentagem de geração de energia elétrica dentro do país de fonte nuclear. Fonte: Facts Maps

3 razões para NÃO utilizar energia nuclear

Agora, entraremos no debate: devemos ou não parar de utilizar energia nuclear? Assista ao vídeo abaixo e descubra 3 razões pelas quais devemos interromper a utilização desta fonte energética.

Os principais problemas são:

  • Proliferação de armas nucleares: a energia nuclear passa a ser associada não só à geração de energia, mas com a tecnologia de armamento nuclear, o qual não consegue ser desenvolvido sem a ajuda dos reatores – além de ser difícil discernir o uso dessa energia pacificamente do uso em programas nucleares;

  • Resíduos nucleares e poluição: os resíduos são, além de radioativos, compostos por elementos químicos extremamente tóxicos e nocivos para nossa saúde, além de serem armazenados em locais que não oferecem muita segurança;

  • Acidentes e desastres: em 60 anos de uso de energia nuclear, 7 grandes acidentes ocorreram nas facilidades que lidavam com resíduos nucleares ou em reatores – acidentes estes que deixaram grandes zonas na Rússia, Ucrânia e Japão inabitáveis por décadas.

3 razões para CONTINUAR usando a energia nuclear

Em contrapartida, o vídeo abaixo rebate os argumentos anteriores com 3 razões pelas quais a energia nuclear deve continuar a ser utilizada no mundo.

Os principais motivos pelos quais devemos continuar usando a energia nuclear são:

  • A energia nuclear pode salvar vidas: cerca de 1,8 milhões de mortes foram evitadas graças à ela, visto que os resíduos são, de fato, armazenados em algum lugar, enquanto combustíveis fósseis são incessantemente emitidos para a atmosfera – consequentemente, causando muitos casos de câncer, acidentes em minas de carvão e doenças respiratórias;

  • Redução na emissão de gás carbônico: em termos de mudanças climáticas, a energia nuclear é relativamente energia limpa se comparada com combustíveis fósseis – desde a década de 1970, cerca de 64 gigatoneladas de gás carbônico não foram emitidas para a atmosfera graças à energia nuclear;

  • Novas tecnologias: o problema dos resíduos nucleares poderia ser resolvido através de novas tecnologias, como os reatores de Tório, um elemento abundante, difícil de ser convertido em armamento nuclear e capaz de gerar 2x menos resíduos que os atuais reatores nucleares.

Portanto, fica o questionamento: vale a pena investir em mais pesquisas para o desenvolvimento desse recurso ou deveríamos investir em outras formas de geração de energia?

Curadoria de conteúdos

Curadoria de conteúdos

Por Adriano Liziero e Brenda Mendonça

Garimpamos a internet em busca de conteúdos geográficos, selecionamos os melhores recursos educacionais e os indicamos aqui no Geografia Visual.

Você também pode gostar

Vídeos

Vídeo mostra evolução das placas tectônicas

por Adriano Liziero

200 milhões de anos até hoje, em apenas 22 segundos.

Vídeos

Vídeo colorido mostra Berlim após a 2ª Guerra Mundial

por Adriano Liziero

Uma coletânea de vídeos coloridos mostra o cotidiano de Berlim em 1945, dias depois do fim da 2ª Guerra Mundial.

Vídeos

Filme mostra onze visões sobre os atentados de 11 de setembro

por Adriano Liziero

Episódios de onze minutos e nove segundos abordam visões de diferentes culturas sobre os ataques às torres gêmeas, nos Estados Unidos.