Energia nuclear: vilã ou mocinha?

Curadoria de conteúdos

Curadoria de conteúdos

Por Adriano Liziero e Brenda Mendonça

8 de agosto de 2018

Na sequência de vídeos abaixo, produzida pelo canal Kurzgesagt, você será guiado em um interessante debate sobre as vantagens e desvantagens do uso da energia nuclear.

Após assistir ao primeiro vídeo, continue lendo o resumo que produzimos, com materiais de apoio que vão te ajudar a compreender determinados conceitos e temas da Geografia abordados nos vídeos. Ative as legendas em português nos vídeos. 

Por que, mesmo perigosa, a energia nuclear continua sendo usada?

Após o desastre das bombas nucleares que destruíram as cidades de Hiroshima e Nagasaki, a energia nuclear ressurgiu com a promessa de ajudar o mundo encontrar novos caminhos para a paz, através de novas tecnologias.

No entanto, empresas do mundo inteiro resolveram continuar seus investimentos em combustíveis fósseis, pois a energia nuclear era cara, complicada e não trazia segurança para os investimentos.

Com o tempo, este conceito mudou. A partir da década de 1970 até 1985, com o grande pico do preço do petróleo em consequência da guerra do Oriente Médio, muitos reatores nucleares foram construídos pelo mundo.

Reatores nucleares da Alemanha. Fonte: Care2

O que são reatores e como eles funcionam?

Basicamente, reatores nucleares são grandes dispositivos capazes de controlar a fissão nuclear e geração de energia em usinas nucleares.

Durante este período de construção de reatores pelo mundo, o reator de água leve foi aquele que mais apresentou vantagens na sua construção, pois:

  • A matéria-prima (água) era abundante e disponível;

  • As etapas de construção e todo o seu desenvolvimento funcionavam bem;

  • Não era uma tecnologia muito cara.

Esquema de funcionamento de um reator nuclear de água leve. Fonte: Secretaria da Educação – PR

Basicamente, o reator aquece a água utilizando uma reação artificial em cadeia.

No entanto, este tipo de tecnologia não é a mais segura nem a mais eficiente, como demonstraram os graves acidentes ocorridos ao longo das décadas na Pensilvânia, Chernobyl e Fukushima, por exemplo.

O desastre em Three Mile Island, na Pensilvânia, foi o mais grave acidente nuclear ocorrido nos Estados Unidos, em 1979. Por inadvertência, o dispositivo de refrigeração de emergência da usina foi desativado. A temperatura escalou perigosamente no interior do reator nuclear e começou a fundir, rompendo as varetas de urânio, acumulando o vapor de água radioativa e ameaçando explodir toda a estrutura. Fonte: Opera Mundi

Qual é a situação hoje?

Atualmente, a energia nuclear supre cerca de 10% da demanda de energia do mundo, com cerca de 439 reatores distribuídos em 31 países.

Os 30 países mais dependentes de energia nuclear – Porcentagem de geração de energia elétrica dentro do país de fonte nuclear. Fonte: Facts Maps

3 razões para NÃO utilizar energia nuclear

Agora, entraremos no debate: devemos ou não parar de utilizar energia nuclear? Assista ao vídeo abaixo e descubra 3 razões pelas quais devemos interromper a utilização desta fonte energética.

Os principais problemas são:

  • Proliferação de armas nucleares: a energia nuclear passa a ser associada não só à geração de energia, mas com a tecnologia de armamento nuclear, o qual não consegue ser desenvolvido sem a ajuda dos reatores – além de ser difícil discernir o uso dessa energia pacificamente do uso em programas nucleares;

  • Resíduos nucleares e poluição: os resíduos são, além de radioativos, compostos por elementos químicos extremamente tóxicos e nocivos para nossa saúde, além de serem armazenados em locais que não oferecem muita segurança;

  • Acidentes e desastres: em 60 anos de uso de energia nuclear, 7 grandes acidentes ocorreram nas facilidades que lidavam com resíduos nucleares ou em reatores – acidentes estes que deixaram grandes zonas na Rússia, Ucrânia e Japão inabitáveis por décadas.

3 razões para CONTINUAR usando a energia nuclear

Em contrapartida, o vídeo abaixo rebate os argumentos anteriores com 3 razões pelas quais a energia nuclear deve continuar a ser utilizada no mundo.

Os principais motivos pelos quais devemos continuar usando a energia nuclear são:

  • A energia nuclear pode salvar vidas: cerca de 1,8 milhões de mortes foram evitadas graças à ela, visto que os resíduos são, de fato, armazenados em algum lugar, enquanto combustíveis fósseis são incessantemente emitidos para a atmosfera – consequentemente, causando muitos casos de câncer, acidentes em minas de carvão e doenças respiratórias;

  • Redução na emissão de gás carbônico: em termos de mudanças climáticas, a energia nuclear é relativamente energia limpa se comparada com combustíveis fósseis – desde a década de 1970, cerca de 64 gigatoneladas de gás carbônico não foram emitidas para a atmosfera graças à energia nuclear;

  • Novas tecnologias: o problema dos resíduos nucleares poderia ser resolvido através de novas tecnologias, como os reatores de Tório, um elemento abundante, difícil de ser convertido em armamento nuclear e capaz de gerar 2x menos resíduos que os atuais reatores nucleares.

Portanto, fica o questionamento: vale a pena investir em mais pesquisas para o desenvolvimento desse recurso ou deveríamos investir em outras formas de geração de energia?

Curadoria de conteúdos

Curadoria de conteúdos

Por Adriano Liziero e Brenda Mendonça

Garimpamos a internet em busca de conteúdos geográficos, selecionamos os melhores recursos educacionais e os indicamos aqui no Geografia Visual.

Você também pode gostar

Vídeos

Os 3 melhores vídeos que conheço para explicar solstício e equinócio

por Adriano Liziero

Hoje, dia 21 de dezembro, é o dia do solstício de verão aqui no Hemisfério Sul.

Mapas e gráficos Slides Vídeos

Os terremotos explicados em vídeo, GIF e slide

por Fernando Soares de Jesus

Imagens ajudam a entender as causas e os efeitos dos tremores.

Mapas e gráficos Vídeos

Google Earth como recurso didático: navegando pelo Rio Amazonas

por Adriano Liziero

Conheça todo o trajeto do Rio Amazonas a partir da navegação virtual.